Alterações na composição da microbiota intestinal durante a gestação em pacientes com Diabetes Melito Gestacional

Diabetes Melito Gestacional (DMG) é uma complicação comum na gravidez e está associada com alto risco de desfechos materno-fetais negativos e desenvolvimento de desordens metabólicas pós-parto 1.

Dieta e intervenções saudáveis no estilo de vida ajudam no controle metabólico de gestantes diabéticas e seus bebês. Esses benefícios têm sido atribuídos, em parte, pela promoção de uma microbiota intestinal saudável ao longo da gestação.

Em recente estudo prospectivo, o perfil microbiano intestinal foi comparado com variáveis do perfil glicêmico e metabólico de 41 mulheres com DMG, avaliadas em dois períodos distintos: fase inicial entre a 24° e 28° semana gestacional, e fase final na 38° semana.

No início do estudo, todas participantes foram orientadas para se alimentar de acordo com diretrizes atuais para DMG (45% CHOs, 20% proteínas, 35% de gordura e de 20-25g de fibras por dia) 1. Além da dieta, a prática de exercícios moderados (30 min/dia, 4 vezes na semana) foi recomendada. O sequenciamento genético microbiano foi realizado pela técnica 16S rRNA em amostras de fezes coletadas em ambos períodos de observação.

Quatorze mulheres (31%) aderiram à dieta ao longo da gestação. A maioria das mulheres estudadas consumiu dieta pobre em fibras e rica em gorduras. A diversidade microbiana do intestino aumentou significativamente ao longo da gestação, com enriquecimento predominante do filo Firmicutes e redução de Bacteroidetes e Actinobacterias. A maior razão Firmicutes/Bacteroidetes pode estar relacionada com aumento significativo do peso, que ocorreu do segundo para o terceiro trimestre de gestação.

Verificou-se que a riqueza dos gêneros bacterianos Collinsella, Butyricimonas e Erysipelotrichia foi diretamente associada com resistência à insulina (HOMA-IR) e insulina de jejum (µU/mL) nas gestantes com DMG. Por outro lado, a da espécie Blautia foi inversamente associada com as variáveis da insulina e da hemoglobina glicada.

Houve relação direta da riqueza do gênero bacteriano Sutturella com níveis séricos aumentados de proteína C reativa (PCR), particularmente na fase gestacional final.

Tomados em conjunto, esses achados mostraram alterações importantes na microbiota intestinal de mulheres com DMG ao longo da gravidez. O manejo adequado da microbiota intestinal é uma estratégia possível para melhorar a saúde metabólica materna.

Por: Priscila Garla

Referências:

  1. Diabetes Melito Gestacional. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). 2017-2018.
  2. Ferrocino I, Ponzo V, Gambino R, et al. Changes in the gut microbiota composition during pregnancy in patients with gestational diabetes mellitus (GDM).Sci Rep. 2018; 15;8(1):12216.

Leave a comment