fbpx

Microbioma Intestinal na Hipertensão

Hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença multifatorial, que inclui em sua patogênese fatores genéticos, ambientais, hormonais, hemodinâmicos e inflamatórios. No último estudo, de associação do genoma humano com HAS, foram identificados 901 loci, mas isso explicou apenas 5,7% da variabilidade da pressão arterial (PA) em indivíduos geneticamente suscetíveis. Novas evidências sugerem que o microbioma intestinal (MI) desempenha papel importante no desenvolvimento e fisiopatogênese da HAS.

O trato gastrointestinal (TGI), que abriga o maior compartimento de células imunológicas do corpo, representa o encontro entre o meio externo, células imunes e bactérias da MI. Assim, determinados modos de estilo de vida podem moldam e são modulados pelo MI e influenciar o risco de doença hipertensiva. Um exemplo bem estudado é o consumo de fibras alimentares, que leva à produção de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) e pode contribuir para a expansão de células do sistema imunológico anti-inflamatório, e exercer ação protetora contra a hipertensão.


AINDA NÃO RECEBE NOSSOS CONTEÚDOS CIENTÍFICOS? ASSINE NOSSAS NEWSLETTERS! . FAÇA O SEU CADASTRO AQUI.

Graças ao sequenciamento genético de última geração da MI dispomos de sólidas evidências da relação, em humanos, entre hipertensão arterial sistêmica e MI. 
Por exemplo, diversidade microbiana intestinal reduzida pode refletir o perfil de pacientes hipertensos (o mesmo foi também observado em outras doenças crônicas).
Existe associação, a ser confirmada,  entre a maior abundância de bactérias Gram-negativas e HAS, incluindo Klebsiella, Parabacteroides, Desulfovibrio e Prevotella.

O desequilíbrio da MI em HAS foi avaliado em relação ao consumo de sal, fator de risco comprovadamente associado com a elevação da pressão arterial. 
Estudos experimentais e humanos, indicaram que o consumo excessivo de sal reduz a concentração intestinal de Lactobacillus spp., bactéria conhecidamente benéfica. 
Além disso, a suplementação de Lactobacillus inibiu células Th17 e melhorou a hipertensão sensível ao sal ao restaurar os níveis de ácido láctico de origem do metabolismo microbiano.

Por fim, revisão sistemática de ensaios clínicos randomizados que investigou o papel de probióticos em HAS, reiterou que o uso de probióticos com Lactobacillus são eficazes, quando usados por pelo menos 8 semanas.

Neste sentido, conhecer a microbiota intestinal através de metodologia de sequenciamento genético bacteriano pode identificar alterações associadas a HAS e auxiliar 
na escolha personalizada de condutas dietéticas e suplementação probiótica.

Quer saber como o sequenciamento genético pode auxiliar na sua saúde e qualidade de vida?

Saiba mais em: www.bioma4me.com.br
Fale com seu médico e nutricionista

Referências:

• Avery EG, Bartolomaeus H, Maifeld A, Marko L, Wiig H, Wilck N, Rosshart SP, Forslund SK, Müller DN. 
The Gut Microbiome in Hypertension: Recent Advances and Future Perspectives. Circ Res. 2021 Apr 2;128(7):934-950.

• Calderón-Pérez L, Llauradó E, Companys J, Pla-Pagà L, Pedret A, Rubió L, Gosalbes MJ, Yuste S, Solà R, Valls RM. Interplay between dietary phenolic compound 
intake and the human gut microbiome in hypertension: A cross-sectional study. Food Chem. 2021 May 15;344:128567.

 • Qi D, Nie XL, Zhang JJ. The effect of probiotics supplementation on blood pressure: a systemic review and meta-analysis. Lipids Health Dis. 2020;19(1):79. 
Published 2020 Apr 25. doi:10.1186/s12944-020-01259-x


Teste de detecção do COVID-19 no conforto de sua casa!

Você sabe que aglomerações de salas de espera laboratoriais e hospitalares podem potencializar o risco de contaminação e transmissão do Coronavírus (COVID-19). 

Você pode evitar esse risco!

Nos preocupamos com a segurança e comodidade, então oferecemos o serviço exclusivo de transporte do material do teste COVID-19, no conforto do seu lar.

Clique aqui e veja todas as informações do teste

 

Postagens Relacionadas

Deixe um comentário