ANOREXIA NERVOSA E MICROBIOTA

A anorexia nervosa (AN) é uma doença potencialmente fatal, caracterizada por restrição extrema de ingestão de energia que leva a baixo peso corporal e traz perigo para a vida 1.

Pfleiderer e colaboradores descobriram 11 novas espécies bacterianas pertencentes à Firmicutes, Bacteroidetes e Actinobacteria phyla em pacientes com AN , enquanto outros pesquisadores descobriram maior abundância do archeon Methanobrevibacter smithii 3 nestes pacientes.

A composição da microbiota intestinal está significativamente afetada pelo estado de anorexia em todos os níveis taxonômicos. Em nível de filo, a microbiota está enriquecida em Bacteroidetes e depletada em Firmicutes. As famílias mais abundantes foram Bacteroidaceae, Ruminococcaceae, Lachnospiracea, Veillonellaceae,    Enterobacteriaceae, Rikenellaceae, Porphyromonadaceae, Verrumicrobiaceae, Bifidobacteriaceae e Prevotellaceae 1.

A abundância dos gêneros de Ruminococcus , Roseburia e Clostridium , pertencente à Firmicutes , está diminuída na AN. Isso pode explicar a menor concentração de butirato fecal em indivíduos com AN 1. A descoberta de gêneros ligados à produção de butirato, como Roseburia spp., sugere a modulação microbiana como possível ferramenta para implementar o tratamento desse distúrbio psiquiátrico 1.

Em humanos e em camundongos, a suplementação probiótica com lactobacilos e bifidobactérias estimula mecanismo de alimentação cruzada, que aumenta a abundância de Roseburia e produção de butirato 1.

Os mesmos investigadores observaram que as Enterobacteriaceae foram super-representadas em pacientes anoréxicos. As Enterbacteriaceae têm sido associadas à inflamação intestinal que, por sua vez, favorece a translocação bacteriana, e pode promover inflamação sistêmica 1,4.

Breton e colaboradores recentemente sugeriram o papel da Enterobacteriaceae em transtornos alimentares: essa família, e, em especial, espécies de Escherichia coli, pode produzir, entre outros metabólitos, uma espécie anorexígena, a protease caseinolica b (ClpB). Os autores encontraram associação entre transtornos alimentares e ClpB 5.  Pacientes com AN também apresentam aumento significativo de bactérias Gram-negativas, o que poderia estar associado com maior produção de neuropeptídeo ClpB 1.

As comunidades microbianas na AN foram enriquecidas em Methanobrevibacter smithii, dado compatível com o resultado de 3 outros estudos, o que indica que esta espécie de Archea pode, se detectada, ser um biomarcador de referência para estudos futuros 1,6.

Hanashi e colaboradores avaliaram a microbiota fecal de pacientes internados com diagnóstico de AN (N=33) pela técnica 16S rRNA e compararam com os resultados obtidos em controles saudáveis (N=22).  Disbiose acentuada foi identificada em pacientes com AN em comparação aos controles ​​(p = 0,03). Alguns gêneros bacterianos potencialmente patogênicos (Klebsiella, Salmonella) foram mais abundantes em pacientes com AN, enquanto que outros simbiontes bacterianos (Eubacterium e Roseburia) envolvidos no equilíbrio imunológico foram significativamente menos abundantes nos pacientes doentes 7.

De acordo com os estudos apresentados, pode-se destacar disbiose significativa em pacientes com AN e alterações específicas nos gêneros microbianos que podem participar da fisiopatologia da doença. A administração de pré e probióticos pode representar uma intervenção viável para pacientes com AN 1. Mais estudos são necessários para compreender melhor a relação entre microbiota e a anorexia nervosa.

 

Referências:

  1. BORGO, F., RIVA, A., BENETTI, A., et al. Microbiota in anorexia nervosa: The triangle between bacterial species, metabolites and psychological tests. PLoS ONE. v. 12, n. 6, p. 1-17, 2017.
  2. PFLEIDERER, A., LAGIER, J., ARMOUGOM, F. et al. Culturomics identified 11 new bacterial species from a single anorexia nervosa stool sample. Eur J Clin Microbiol Infect Dis. v. 32, n. 11, p. 1471–1481, 2013.
  3. ARMOUGOM, F., HENRY, M., VIALETTES, B., RACCAH, D., RAOULT, D. Monitoring bacterial community of human gut microbiota reveals an increase in Lactobacillus in obese patients and Methanogens in anorexic patients. PLoS One. v. 4, n. 9, e7125, 2009.
  4. WINTER, S.E., BA¨UMLER, A.J. Dysbiosis in the inflamed intestine: Chance favors the prepared microbe. Gut Microbes. v. 5, n. 1, p. 71–73, 2014.
  5. BRETON, J., LEGRAND, R., AKKERMANN, K., et al. Elevated plasma concentrations of bacterial ClpB protein in patients with eating disorders. Int J Eat Disord. v. 49, n. 8, p. 805–8, 2016.
  6. SCHWENSEN, H.F., KAN, C., TREASURE, J., HOIBY, N., SJOGREN, M. A systematic review of studies on the faecal microbiota in anorexia nervosa: future research may need to include microbiota from the small intestine. Eating and Weight Disorders. v. 23, n. 4, p. 399–418, 2018.
  7. HANACHI, M., MANICHANH, C., SCHOENENBERGER, A. et al. Altered host-gut microbes symbiosis in severely malnourished anorexia nervosa (AN) patients undergoing enteral nutrition: An Q7 explicative factor of functional intestinal disorders? p. 1-7, 2018.

Leave a comment